Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Nenhum homem é uma ilha

por oficinadepsicologia, em 08.07.12

Autora: Ana Beirão

Psicóloga Clínica

www.oficinadepsicologia.com

Facebook

 

 

Ana Beirão

Nós não somos apenas indivíduos, pertencemos a um grupo, somos membros de uma sociedade e relacionamo-nos com os outros. Interagimos no nosso quotidiano não só por necessidade, mas porque precisamos de estabelecer relações interpessoais, as quais proporcionam ligações emocionais. Relações estas que se caracterizam pela intimidade, crescimento e resiliência. Construímo-las com base numa vinculação segura, com expectativas na procura de companhia, amizade, camaradagem, amor, compreensão. Enquanto seres sociais, relacionamo-nos com a família, amigos, companheiros, colegas de trabalho, patrões, os empregados do café onde vamos habitualmente, os funcionários das diferentes lojas, entre tantos outros.

 

O relacionamento humano é complexo, pressupõe o sabermos interagir uns com os outros, ter em conta os papéis, as normas, as expectativas, a cultura, a comunicação, as diferentes formas de ver o mundo. A interacção social é um processo no qual agimos e reagimos face ao que nos rodeia. Os relacionamentos têm de ser trabalhados e a sua eficácia influencia o contacto social permanente. Um novo estudo da Universidade da Califórnia, menciona como o simples facto de nos lembrarmos de uma pessoa querida pode reduzir a percepção da dor. O suporte social toma uma importância a nível da nossa saúde, física e mental. É assim altura de voltar a dar o devido valor aos relacionamentos interpessoais, que afinal de conta, nos ajudam a ser mais saudáveis.

 

A nossa vida é organizada através de padrões semelhantes de comportamentos. Somos criaturas de hábitos, sabemos o que fazer no quotidiano e isso proporciona uma vida estável e regular, sabendo com o que contar. No entanto, a vida actual pode não possibilitar o contacto social mais estreito. Muitos são os que trabalham em casa, outros tem trabalhos mais solitários, horários diferentes, perdem muito do seu tempo em deslocações. Estamos na era das redes sociais onde a internet está muito presente, e é verdade que continuamos a falar com a nossa família, amigos e conhecidos mas perdemos pouco tempo em relacionamentos cara a cara. Falta a cumplicidade do momento, com partilha de emoções e sentimentos, faltam interacções humanas e o suporte social. Como podemos então ter tempo para nos relacionarmos melhor uns com os outros?

 

Comece por reorganizar a sua semana, tenha como uma das suas prioridades o estar com o outro. Sempre que possível evite marcar o encontro com o amigo na internet e faça-o num local onde goste de estar, onde possa conviver. Dê importância às suas relações, são preciosas. Tente esclarecer dúvidas ou desentendimentos num curto espaço de tempo, não permita que a não compreensão de uma posição pese mais do que a relação que tem com aquela pessoa. Tenha algum tempo para si junto dos outros. Inscreva-se num workshop, procure um hobby que possa partilhar com outras pessoas. Marque o tal café ou o jantar que ficou suspenso por uma razão qualquer. Faça um pequeno esforço para estar com os outros, os que tem significado para si ou os que já não vê há muito tempo. Esquecemo-nos que uma boa conversa desanuvia o espírito e proporciona prazer. Seja meigo consigo e procure ter tempo para se relacionar ...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:37



Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D