Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Fluoxetina na ansiedade

por oficinadepsicologia, em 28.08.12

 

E-mail recebido

 

Bom dia equipa!

Ao realizar uma busca sobre sites fidedignos que me pudessem ajudar com algumas questões, encontrei o vosso.
Tenho 31 anos e aos 16 sofri de Distúrbio de Pânico associado a Depressão. Desde essa altura que tenho regularmente crises de ansiedade agudas e que entro e saio de quadros depressivos. Na altura não fui acompanhada por um psicólogo tendo apenas tomado um ampla gama de fármacos que pararam os sintomas mais graves mas não preveniram a sua reaparição. Desde alguns anos a esta parte, também influenciada pela minha própria formação em psicologia, tenho tido acompanhamento e tentado de todas as formas que conheço "ficar boa". Digo assim, "ficar boa" porque para mim é como se tivesse uma espécie de entidade maligna dentro do meu peito. Que me engana, me impede de ver, de sentir, de viver "normalmente". Enfim, todos aqueles sintomas típicos mas que experimentados são tão mais aterradores e assassinos do que quando os lemos num livro da especialidade.
A minha questao prende-se essencialmente com o uso da Fluoxetina. Comecei a usar este farmaco há uma semana por primeira vez.  Não sei se todas as pessoas que sofrem ansiedade ou depressão passam pela rejeição aos fármacos mas eu passei. Preconceito, medo etc. Agora "rendo-me" e estou a iniciar a conselho da minha psiquiatra a fluoxetina. Gostaria de saber a vossa opinião sobre o seu uso em quadros de ansiedade e depressão com uma duração de muitos anos, Também referir que desde que comecei a tomar aumentou bastante a minha ansiedade, tenho rigidez muscular principalmente nos ombros e braço direito e tenho insónias. Vejo pelo folheto que é normal mas como poderei baixar a ansiedade até que comece a fazer efeito? Coloco estas questões porque as consultas de psiquiatria e psicologia  aso espaçadas no tempo e apenas voltarei no fim do mês, vivo fora de Portugal. Não sei se este tipo de questões são as que se colocam no vosso site, de qualquer forma muito obrigada!
R.M.


Cara R.,
obrigada pelo seu contacto.

A Fluoxetina tem realmente indicação para o tratamento de episódios depressivos major, bem como para perturbação obsessivo-compulsivo, bulimia nervosa, sindrome de pânico e transtorno bipolar.
Cada corpo reage de uma forma particular a qualquer tipo de fármaco pelo que será importante dar um retorno frequente à sua psiquiatra numa fase inicial, inferior a um mês, de forma a que os sintomas e eventuais contra-indicações que experiencie possam ser regulados. Como a R. concordará, o apoio psicoterapêutico complementar à toma de medicação é essencial para que se dê uma verdadeira melhoria do seu estado global. Por vezes temos de procurar técnicas diferentes dentro da Psicoterapia, que encerra em si um mundo muito diverso de abordagens, umas com maior indicação e eficácia para algumas problemáticas específicas do que outras.

Existem um conjunto de estratégias práticas que visam o controlo e redução de ansiedade, e que passarão inevitavelmente sempre por exercícios de respiração e de Mindfulness, na sua base. No nosso site estão disponíveis alguns documentos de apoio que poderá achar úteis (http://oficinadepsicologia.com/sobre-ansiedade/ansiedade-generalizada), um dos quais segue em anexo.
Nesta fase, as rotinas de sono, as escolhas alimentares e a prática de exercício físico assumem-se como muito importantes e até mesmo determinantes na regulação do humor e dos sintomas ansiosos.

Partilho consigo que na Oficina de Psicologia realizamos apoio psicoterapêutico à distância via skype por um custo mais reduzido (25 euros/sessão). Muitas pessoas que se deslocam frequentemente para fora do país ou que estão mesmo emigradas têm recorrido a este nosso serviço, intercalando com sessões presenciais quando tal é possível ou mantendo todo o apoio via skype, e ultrapassam assim o obstáculo da distância física, assegurando de forma idêntica um apoio psicoterapêutico de qualidade.

Estaremos disponíveis caso sinta que podemos ser úteis de alguma forma neste seu caminho de procura por um bem-estar merecido.

Um abraço com coragem,
Filipa Jardim da Silva
Oficina de Psicologia

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:14


6 comentários

Sem imagem de perfil

De carolin a 09.04.2013 às 01:18

me sinto exatamente como R.
Sem imagem de perfil

De lu a 05.07.2013 às 21:03

estou gravida de oito semanas .tenho sindrome do panico e depressao ,ha muito nao tomava remedio pelo fato de ter feito tratamento e recebido grande melhora .decidi ter o segundo filho ,ate entao muito animada e disposta .depois de alguns dias apos receber o resultado começaram os desconfortos emocionais e fisicos tambem ....enjoos ,perda de apetite ,fui a um hospital tomar soro devido a minha fraqueza fisica e la tive um ataque de panico daqueles que ha mais de ano nao havia sentido . o coraçao disparou ,achei que iria enlouquecer.e dai pra ca tenho tido muitaansiedade ,sinto medo so de pensar que posso dar uma crise de novo na hora do parto .enfim fui a uma medica psiquiatra que me receitou tomar cinco gotas de rivotril por cinco dias e diariamente fluoxetina , meio comprimido pela manha . depois de dez dias com meio comprimido de 20mg ,deveria aumentar a dose para um comprimido de 20mg .comecei e a dois dias e tenho a impressao que depois de aumentar a dose a minha ansiedade so aumentou .isso seria possivel ?por favor me ajudem nao tomei o rivotril por medo de fazer mal ao meu bebe .estou aflita com tamanha ansiedade .me respondam logo por favor , meu retorno com a medica e so daqui a dez dias ,nao sei se vou aguentar .
Sem imagem de perfil

De ananda a 12.02.2016 às 02:16

por favor, pesquise mais sobre a relação entre o uso de antidepressivos por grávidas e o autismo!
Sem imagem de perfil

De rosangelasalomao a 12.07.2016 às 00:09

eu tive isso tomei todos os dias esse remedio fluoxetina nao fez mal ao meu nene que hoje eta com 3 anos agora esse rivotril nao tome nao na gravides e pensamentos positivos e salmo 91 na cama todas as noite amiga beijao.
Sem imagem de perfil

De Anete a 26.08.2013 às 19:48

Oi galerinha.
Tenho sind. pânico e fobias... Há 20 anos com isso... só sofrimento. A pisquiatra me passou Eutonis 1 mg, um pela manhã e terapia.

A pergunta é: Sinto muita tonteira... mesmo antes de começar o tratamento... A tal é o carro chefe.rs Parece que vivo tomando todas. Essa tonteira é mesmo da doença? Já que fiz um exame de labirintite e não deu nada. Vai sumir com o tratamento? Não saio nem de casa sozinha por conta disso.
Gostaria que mandasse a resposta para o meu e-mail.

Obrigada pela atenção.
Sem imagem de perfil

De Mirian Araújo a 23.04.2017 às 23:49

Há uns 7 anos fui diagnosticada com síndrome do panico.. os sintomas eram horríveis ..Mais graças a Deus consegui controlar os sintomas.. hoje tenho uma rotina normal.
Agora estou tendo crises de ansiedade fortes , voltei a estudar e TDS as vezes que vou fazer seminário ou sou chamada a frente na sala tenho Crises tão forte que esquco tudo , a voz não saem , ficou tremendo como vara verde... Esqueci tudo .. é muito complicado ..
Gostaria de saber o que posso fazer para diminuir essa asiedade ???
Posso tomar o fluxetina só no dia dá pula dá Faculdade ???

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D