Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Afirmação pessoal

por oficinadepsicologia, em 06.10.12

Autor: Pedro Diniz Rodrigues

Psicólogo Clínico

www.oficinadepsicologia.com

Facebook

 

Pedro Diniz Rodrigues

Como acha que se expressa habitualmente para os outros ?

 

E para si mesmo?

 

O sentirmo-nos mais contentes e realizados ou mais tristes, irritados e sozinhos,

está normalmente relacionado com a forma como interagimos uns com os outros e dizemos o que nos vai cá dentro. A qualidade da nossa expressão pessoal parece assumir-se como um factor determinante sobre o qual será interessante refletir.

 

Sugiro-lhe que se imagine nas seguintes situações:

 

Está numa fila para o cinema e chega uma pessoa que se mete na sua frente.

 

Não consegue dormir, porque o seu vizinho do lado tem música a tocar com o volume muito alto.

 

Um amigo seu pede-lhe emprestado o seu carro novo (que não quer emprestar) para fazer uma viagem.

 

Numa reunião de trabalho com toda a equipa, um dos seus colegas diz-lhe algo com que não está de acordo.

 

Tendo em conta a forma como cada um de nós se afirmaria nestas situações, são identificáveis 3 tipos de atitudes ou posturas que potencialmente adoptamos:

 

Podemos adoptar uma atitude submissa, utilizando neste caso, um volume de voz baixo, hesitante, gaguejando, com bloqueios, silêncios, não olhando diretamente nos olhos, o nosso rosto tem uma expressão forçada e o corpo está tenso. Não queremos incomodar o outro, temos medo de o magoar, preferimos sacrificar-nos abdicando do que precisamos. Sentimo-nos normalmente impotentes, culpabilizando-nos e somos pouco tolerantes connosco mesmos, por sermos demasiado críticos. Não aceitamos as nossas emoções e acabamos sentindo frustração e ressentimento.

 

Podemos também adoptar uma postura agressiva, que nestas situações se traduz normalmente num volume de voz alto, numa fala precipitada e pouco fluída, em que interrompemos constantemente o outro, recorremos a insultos e ameaças para fazer valer o nosso direito. Naquele momento, pensamos que só nós interessamos, achamos que “ganhamos” se o outro não expressar o seu ponto de vista. Pensamos que dessa forma não ficamos vulneráveis. Se adoptamos predominantemente esta atitude, é possível que possamos ter algumas ideias interiorizadas de que há gente “má” e que o mundo não é como gostaríamos que fosse. Acabamos por nos sentir irritados e ansiosos, sozinhos e incompreendidos.

 

Finalmente existe um terceiro tipo de atitude, a assertiva, que será a mais recomendável. Ao sermos assertivos, nas situações descritas falamos de forma fluída, segura, sem bloqueios, olhamos diretamente nos olhos (sem desafiar), o nosso corpo está relaxado e com uma postura confortável. Sabemos quais são os nossos direitos e os direitos dos outros. Expressamo-nos sem agressão, discordando abertamente, manifestando interesses próprios. Somos emocionalmente honestos, aceitando e manifestando as nossas emoções agradáveis ou desagradáveis. Não nos sentimos superiores nem inferiores aos outros. Com esta postura, acabamos por nos sentir mais satisfeitos nos nossos relacionamentos e de uma forma geral, mais realizados.

 

Se acha que adopta predominantemente o terceiro tipo de atitude (assertiva), estará no bom caminho. Se concluiu que se encaixa mais nas duas primeiras (passiva ou agressiva), reserve a si mesmo alguns momentos do seu dia, no sentido de refletir sobre o que poderá precisar para que se possa auto-afirmar sem se sentir subjugado, manipulado ou culpado, e para que não o imponha aos outros. Procure esse equilíbrio. Isso é assertividade.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:58


1 comentário

Sem imagem de perfil

De daniela a 06.10.2012 às 14:52

devia existir um curso vocacionado para os adolescentes , no sentido de lhes proporcionar ferramentas para serem acertivos.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D