Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Relações em Conflito - Energia em desgaste

por oficinadepsicologia, em 22.10.12

Autora: Inês Mota

 

Psicóloga Clínica

 

www.oficinadepsicologia.com

 

Facebook

 

 

 

 

Todos sabemos a dificuldade de permanecer em equilíbrios estáveis nas relações e igualmente conhecemos a forma com os conflitos parecem adquirir uma força própria e poderosa para se instalarem nas relações, definindo-lhes muitas vezes um rumo perigoso.

Pode por isso ser importante aproximar a lupa a este fenómeno tão predominante e tão nefasto.

 

Uma característica importante dos conflitos, que nos permite perceber a força quase maquiavélica com que às vezes se impõem, é a forma como muitas vezes são implícitos e não manifestos, não permitindo assim àqueles que o reforçam, perceber e resolver a questão em disputa (pelo menos de forma imediata).

 

Outra característica que certamente conhece dos conflitos é a forma como nos conseguem deixar completamente desorientados e extenuados, pois de facto, em conflito, a energia utlizada para o alimentar é na realidade dissipada, desgastando-se, escoando-se e perdendo-se, ao invés de ser aproveitada de forma útil e produtiva.

 

Um outro fenómeno associado aos conflitos é a turbulência que criam, ou seja é gerada uma “corrente de ar turbulenta” que funciona como o atrito, gerando travagem, anulando assim o impulso para gerar movimento. A turbulência é instável e cria lentidão de reações, por isso nos é tão difícil, em conflito, reagir de forma orientada e orientadora mas tão facilmente de forma dispersante.

 

Todas estas reações sucedem no conflito, pois normalmente os envolvidos debatem-se para manter um equilíbrio que se perdeu, reagindo assim ao que interpretam como a ameaça da mudança.

E é assim que é gerado e alimentado o conflito, com elevados consumos de energia que é utilizada, no entanto, de forma completamente contraproducente. Concretizando, veja-se os casos em que os envolvidos numa relação em conflito sistematicamente se atacam e recriminam, como fazem apelo ao medo com ameaças ou se julgam aparentemente ligados pela corrente energética cada vez mais consumida do conflito.

 

Se se debate com estes fenómenos e características na sua relação, esta poderá ser a altura ideal para refletir e poder ousar procurar o encontro com a mudança.

Avance, este poderá ser um importante momento de viragem, na sua relação e/ou na sua vida e procurar ajuda pode ser também um passo importante a dar.

 

A arte a conhecer e desenvolver será conseguir traduzir o que o conflito parece estar a gritar, conseguir interromper a forma como o está a alimentar, o que lhe permitirá armazenar energia que poderá conseguir usar para gerar movimento no caminho da mudança.

Assim, aprendendo como usar de forma produtiva, a energia em desgaste no conflito, conduzirá certamente a um caminho de mudança, de enriquecimento e crescimento pessoal.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:15



Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D