Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Como a TV pode promover o seu auto-controlo

por oficinadepsicologia, em 23.10.12

Autora: Cristina Sousa Ferreira

 

Psicóloga Clínica

 

www.oficinadepsicologia.com

 

Facebook

 

 

Cristina Sousa Ferreira

“Televisão!! Professora, mãe, amor secreto.”- Homer Simpson

 

Depois de um dia de trabalho sabe tão bem atirarmo-nos para cima do sofá, ligarmos a TV e vermos o nosso programa favorito.... Será isto verdadeiramente errado? Será que deveriamos fazer qualquer coisa mais criativa ou desafiante com o nosso tempo como ir a  uma aula de aeróbica ou aprender viola clássica?

 

Um estudo recente sugere que a TV pode ter uma utilidade, apesar de tudo (Derrick, 2012). Estranha? Pois também eu...

O problema com os dias stressantes é que dão cabo do nosso auto controlo. É um recurso finito que desaparece fácilmente ao fim do dia. Por muito boas intenções que tenha sobre o que vai fazer ao fim do dia.... não vão passar disso... ao fim do dia está estafado!

Num artigo do “Journal of Personality” uma equipa de psicólogos refere que o auto-controlo está associado com o sucesso: maior auto-estima, melhores competência interpessoais, melhores respostas emocionais, e supreendentemente talvez  alguns inconvenientes quando falamos de níveis muito elevados de auto-controlo  (Tangney et al., 2004)

 

Uma das formas de “recarregarmos” o nosso auto-controlo é rodearmo-nos de um meio social familiar. Pessoas que conhecemos bem dão-nos um sentimento de pertença e carregam-nos as “baterias”, melhoram nosso humor e auto-realização. Isto faz-lhe sentido? Claro que sim.

O que talvez estranhe é que as pesquises demonstram que as pessoas vivem as personagens da TV como reais e que estas também lhes dão este sentimento de pertença.

 

Numa das suas pesquisas, Jaye Derrick da Universidade de Bufalo, descobriu que depois de “esgotarem” o seu auto-controlo as pessoas automaticamente procuram um universo familiar de ficção, um programa de TV ou.... o livro preferido.

Um segundo estudo sugeriu ser necessário que este universo de ficcção seja  familiar tal como os que podemos apreciar em boas comédias ou séries de ficção.

 

Nada disto quer dizer que se deve entregar totalmente ao Frasier Crane, Jerry Seinfeld ou ao Homer Simpson. Não quer dizer que deve deixar de  ir conversar com amigos ou estar em família,  genuínas interacções sociais. Esta pesquisa diz-nos no entanto que em períodos curtos ver um programa familiar de TV pode ter um efeito regenerador do auto-controlo.

E esta hem?!

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:19



Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D