Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




O Inverno e a Depressão

por oficinadepsicologia, em 25.11.12

Autora: Ana Beirão

 

Psicóloga Clínica

 

www.oficinadepsicologia.com

 

Facebook

 

 

Ana Beirão

O Outono chegou com as suas características próprias, chuva, dias cinzentos e curtos. O frio bate à porta, entra e apoquenta-nos com as mudanças que temos de fazer em nós e lá por casa. É altura de mudar a hora, de mudar as peças de vestuário, abrir o baú, começar a aquecer a casa.

 

A mudança chega, instala-se e como é que nós ficamos? Para alguns de nós surgem sintomas depressivos como a fadiga, dificuldade de concentração, aumento da necessidade de dormir ou dificuldade em dormir, isolamento da família e dos amigos, aumento de peso, falta de esperança, diminuição acentuada de interesse nas actividades que habitualmente dão prazer.

 

Estes são alguns dos sintomas que relacionamos com a depressão mas que, neste caso, devem-se à época do ano, à depressão sazonal. Nesta altura, o tempo frio e a ausência de luz natural, faz com que fiquemos mais vulneráveis a flutuações normais do humor.

 

Assim recomendamos que durante esta altura:

- Tenha em conta o que come, uma dieta pobre pode contribuir para as mudanças de humor e para a falta de energia, por isso não exagere em produtos “fast food”.

  • - Faça algum exercício fora de casa, pois ajuda a melhorar o humor e contribui para noites bem dormidas, além de receber alguma luz natural.
  • - Deite-se a horas regulares.
  • - Como temos menos luz natural nesta altura do ano, pense em ter mais luzes ligadas pela casa, a quantidade de luz ajuda a diminuir alguns dos sintomas.
  • - Não se isole em casa, invista o seu tempo com família e amigos, visto que o isolamento pode levar a um aumento do estado depressivo.

Faça uma nova actividade, mais criativa, aprenda algo novo. Comece uma colecção de folhas de árvores por onde passa nos seus passeios, por exemplo.

 

Estes são apenas alguns exemplos que lhe podem ajudar durante esta época, mas se perceber que a sua depressão vai tomando outras proporções com as quais não consegue lidar, contacte um profissional e peça uma ajuda mais especializada.

 

Deixo-vos aqui um provérbio chinês, que pode ajudar a clarificar a necessidade de uma monitorização quando afectados pela depressão “Não tenha receio de caminhar devagar, tenha apenas receio de ficar parado”.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:42



Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D