Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Acho que a nossa história acabou...

por oficinadepsicologia, em 24.07.10

Email recebido

Senhores
Tenho 44 anos e namoro uma moça de 24. Sou realizado profissional e financeiramente; ela é de família humilde e terminou recentemente seus estudos de nível superior. Começamos nosso relacionamento amoroso de forma deslumbrante, com grande admiração dela por mim, apesar de ela nunca ter negado que o amor dela pelo namorado anterior ainda permanecia. Com o tempo, ela foi tendo menos lembrança desse relacionamento, até que, segundo ela, praticamente desapareceu.
Temos uma identidade muito grande, tanto afetiva, quanto sexualmente. No início, tínhamos planos de ficar noivos e casar. Eu sempre fui muito educado e carinhoso, com demonstrações constantes do meu amor por ela. Um dia, porém, ela falou que, se eu fosse mais grosseiro e agressivo, ela já teria se apaixonado por; na segunda vez que ela falou isso, disse que eu já tinha sido assim, grosseiro e agressivo, e que tinha superado por não valer a pena. E ela não acreditou que eu já tinha sido assim. E eu falei que, se ela quisesse, eu poderia voltar a ser grosseiro e agressivo. Como ela não acreditou, eu disse que seria dali em diante. E assim o fiz.
O resultado geral dessa minha mudança de comportamento foram brigas e discussões constantes, desconfianças (ciumes em mim) e progressivo afastamento dela. Hoje, nosso relacionamento está em crise, inclusive, segundo as palavras exatas dela "axo que nossa história acabou...". Essa frase foi me mandada por telemóvel no dia em que estava com Tensão Pré-Menstrual. Eu a amo muito. Ela disse a amigos que meu comportamento mudou muito (realmente mudei a pedido dela).
No entanto, no dia 4 de julho deste ano, disse a ela que eu tinha cansado de ser grosso e agressivo. E voltei a ser como era no início. O resultado foi interessante, porque ela voltou a ficar comigo, passamos a brigar bem menos.
Estou com muitas dúvidas sobre o que aquela mensagem significa. Será que ela já decidiu me deixar e, para não falar de uma vez (a característica dela é falar as coisas diretamente, sem rodeios), está apenas me preparando para a notícia fatal? Ou será que realmente ela ainda tem duvidas se deve ou não continuar comigo? Ela disse que vai conversar comigo pessoalmente, assim que for possível, uma vez que ela está viajando.
Preciso de ajuda.
Resposta

Caro D.,
As relações amorosas estão longe de ser simples... Ainda mais no seu caso, em que se juntam elementos diferenciadores que acrescentam potenciais focos de incompreensão mútua, pelas diferenças de idade e, aparentemente, diferenças socio-culturais. Se a comunicação entre um casal já é, muitas vezes, um quebra-cabeças entre o que um quer dizer e o que o outro entende, acredito que, no vosso caso, a situação se complique, exigindo que conversem mais e com uma maior atenção às dúvidas que cada um tem relativamente ao que o outro pretende dizer. Poderá ser uma sugestão para esta conversa que vão ter assim que a sua namorada voltar, certo? Deixe um pouco de parte o seu receio de que ela o vá deixar, até porque, pelo que diz, a relação melhorou nos últimos tempos, e concentre-se no que ambos querem desta relação, bem como na forma como se sentem confortáveis um com o outro.
O facto de ela lhe dizer que talvez a vossa história tenha acabado tem de ser melhor explicado, tanto mais que a relação tem vindo a melhorar e ela demonstra interesse em falar consigo. Só mesmo numa conversa será possível perceber o que ela entende por isso.
Deixo-lhe uma nota de alerta: as relações duradouras e saudáveis, sejam elas amorosas, de amizade, familiares ou, mesmo, profissionais exigem respeito. A grosseria e agressividade, ainda que a pedido do outro, é algo que degrada a relação a médio/longo prazo, pelo que raramente compensa...
Aproveito para desejar que, enquanto aguarda que ela regresse, se concentre na preparação não para aquilo que irá ouvir, porque isso é impossível de prever, mas para aquilo que lhe pretende dizer a ela: como lhe quer explicar o amor que lhe tem, o que gostaria que acontecesse à vossa relação, como vê o vosso futuro e como interpreta o vosso passado. Se é certo que é a conversar que a gente se entende, é igualmente certo que as conversas devem ser genuínas e minimamente pensadas.
Abraço solidário,
Madalena Lobo
Psicóloga Clínica

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:35



Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D