Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Quando o corpo adoece...

por oficinadepsicologia, em 06.12.10

Autora: Tânia Cunha

Psicóloga Clínica

 

 

Para alguns autores, a definição de psicossomática, pode ser entendida, como uma filosofia, porque envolve uma visão do ser humano, uma maneira de definir o ser humano, e uma ciência que tem como objecto os mecanismos de interacção entre dimensão mental e dimensão corporal.

 

 

A doença como veículo de comunicação e contacto constitui, para mim como psicoterapeuta, uma área de especial interesse.

 

Desde cedo que o “adoecer psicossomático” pode andar de mãos dadas com o indivíduo, como as doenças infantis que curiosamente a grande parte delas que atinge as crianças afectam sobretudo os olhos, o nariz, os ouvidos, a garganta e a pele.

 

Segundo Lise Bourdeau, uma doença infantil é uma mensagem recebida pela criança como efeito de se deixar perturbar com o que se passa à sua volta e sentir cólera interior. A criança pode ter dificuldade em exprimir o que sente porque não sabe como fazer ou porque os adultos não lhe permitem que o faça. As doenças infantis, sobrevêm muitas vezes no momento em que a criança não recebe bastante atenção, não é bastante admirada.

 

Entendo o “adoecer psicossomático” como uma carência a dois níveis, intimamente relacionados, o afectivo e o relacional no processo de crescimento psíquico do próprio.

 

O trabalho corporal é parte integrante da Gestalt terapia, em que a atenção ao corpo é permanente com a observação da postura, respiração, olhar, voz etc.

 

 

O corpo humano traz consigo todas as experiências diárias que se vai moldando de acordo com o que é emocionalmente vivido ao longo da história de cada um. Assim, o corpo sente, aprende, disciplina-se, condiciona-se, deprime, cresce, expande-se, contrai-se...

Podemos encontrar nas pessoas diferentes posturas, onde cada uma possui uma forma particular e pessoal de ser e de agir. Reich percebeu que o corpo traz consigo todos os conflitos emocionais e possui uma linguagem própria, comunicada através de gestos, postura, tom de voz, movimentos.

 

O conflito psíquico possui um equivalente somático muscular, ou seja, o ser humano é afectado no seu corpo, mesmo quando os problemas pertencem à esfera do psíquico.

O nosso corpo regista todos os acontecimentos vividos durante a nossa vida, principalmente aqueles ocorridos na primeira infância, quando as formas que encontramos para nos defender ainda são precárias.

O trabalho corporal em psicoterapia permite:

  • Libertar os bloqueios;
  • Expressar emoções;
  • Abrir a mente;
  • Intensificar as respostas de prazer e
  • Ampliar a consciência.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:34



Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D