Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Quem nunca hiperventilou que atire a primeira pedra!

por oficinadepsicologia, em 29.12.10

Autor: Nuno Mendes Duarte

Psicólogo Clínico

 

 

- Quem sabe o que é hiperventilação, por favor, ponha o braço no ar. Obrigado às duas senhoras aí do fundo… Bom, para todos os outros que não sabem gostaria de vos explicar que a hiperventilação A hiperventilação corresponde a respirar mais do que aquilo que o corpo precisa. Os efeitos deste acto são, habitualmente, desagradáveis e é um dos processos mais frequentes durante um ataque de pânico, que resulta num conjunto de sintomas.

 

Durante um ataque de pânico quando você se sente com sensação de desmaio, tonturas, confusão mental ou dormência e formigueiro é porque a hiperventilação causa algumas alterações químicas no organismo, nomeadamente, provoca um decréscimo de dióxido de carbono no sangue. Isto, por sua vez, reduz o fluxo sanguíneo ao cérebro. Este conjunto de alterações no corpo e outros podem ser explicados pela compreensão do que é um ataque de pânico e dos efeitos que o acompanham.

- Agora gostaria que me dissessem o que fazer quando se começa a hiperventilar… ninguém? Sim, é isso mesmo, eu sei que ficamos tontos e com sensação de falta de ar. Mas, o que quero saber é o que fazer quando hiperventilamos. Sim, está correcto, durante um ataque de pânico muitas pessoas hiperventilam.

- Mas ninguém me sabe dizer o que fazer durante um ataque de pânico? Ok, respirar fundo e esperar que passe é seguramente uma muito má estratégia – até porque respirar fundo mantém o processo de hiperventilação.

- Bom já vi que temos muito para trabalhar e aprender para regularem essas sensações desagradáveis!

 

Muito do trabalho que se faz num Grupo de Terapia para o Tratamento da Perturbação de Pânico consiste em ensinar um conjunto de estratégias que o ajudem a si a regular as suas reacções num ataque de pânico e a saber tranquilizar-se quanto ao medo que sente relativamente a ter novos ataques. Este trabalho é feito assim nos grupos porque, para ultrapassar esta situação de pânico, temos de compreender o que nos acontece, aprender estratégias, aceitar alguns erros e aprender a viver com a imprevisibilidade do futuro.

Para o ajudar no seu futuro e a tratar a perturbação de pânico vou iniciar mais uma edição do Grupo de Tratamento para a Perturbação de Pânico na Oficina de Psicologia dia 11 de Janeiro… não deixe passar mais um ano, para haver bem-estar é preciso mudar. Cuide de si!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:04



Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D