Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




O constante adiar - Bolsa Micro

por oficinadepsicologia, em 08.03.11

Autora: Helena Gomes

Psicóloga Clínica

 

 

Bolsa Micro

 

A conjuntura actual do nosso país traz consigo novas preocupações, ou a ampliação das já existentes. Os contratos precários, os recibos verdes, o desemprego, o aumento de taxas, o aumento dos bens alimentares, o aumento dos medicamentos, da gasolina, tudo aumenta. Deixamos de considerar um problema não ir de férias, ou não comprar aquela mala fantástica, pois pagar a renda da casa, as dívidas que se acumulam, as propinas da faculdade, é o essencial…

 

 

Aí aquela blusa fantástica que vi na loja vai ter de esperar até aos próximos saldos (se ainda houver), pois colocar comida na mesa é mais importante. Como queria ir ver aquele jogo com os meus amigos, mas este mês tenho o seguro do carro para pagar. Vivemos de cedências, cedemos nos sonhos que temos, nas relações pessoais e profissionais, cedemos naquilo que acreditamos ser possível e impossível, vivemos a vida a meio, pois vivê-la por inteiro é “caro”.

 

No meio deste caos e desta luta, quando nos podemos dar ao luxo de olharmos para o nosso interior, e para as nossas necessidades? Quando podemos parar para reflectir naquilo que somos e acima de tudo no que queremos ser? Claro que não vou poder ir ao cabeleireiro, a jantarada com os amigos vai ter de ser adiada, aquela dor de dente que me anda a matar, vai ter de ser curada com um analgésico. Mas este adiar, torna presente o stress a ansiedade, todos aqueles sentimentos negativos que nos fazem sentir menos, numa época de mais, mais contas, mais aumentos, mais taxas, mais, mais e mais… é um acumular de “Não posso”, “Depois”, “Para o ano”.

 

 

O meu problema torna-se insaciável e vai-se alimentando de mim, até me tornar um mero espectador da minha vida e me esquecer das minhas necessidades. Estas palavras tornam-se pioneiras no caminho que percorremos, e tal como os tentáculos de um polvo dominam todas as componentes do nosso ser, social, afectivo e psicológico. Mas ainda assim, as mesmas questões mantêm-se, como me posso preocupar com o meu bem-estar quando o meu filho precisa de mim para lhe pagar o infantário, o meu/ minha companheiro (a) acabou de ficar desempregado, os meus pais precisam de cuidados e dependem de mim “É um encher o saco sucessivo, que em breve irá rebentar”.

 

Infelizmente para a maioria das situações não existem medidas milagrosas, não andam por ai a pagar as contas (excepto nos programa de TV), nem a dar pílulas da felicidade, mas temos de saber olhar por nós e não só pelos outros. Foi a pensar nisso que na Oficina de Psicologia “nasceu” a Bolsa Micro, a pensar nas pessoas que usam os ““Não posso”, “Depois”, “Para o ano” e ir ao seu encontro com vista a permitir o acesso a serviços de psicoterapia de elevada qualidade, com preços de qualidade.

 

Os cuidados de Saúde não podem ser adiados, sob pena de a nossa qualidade de vida se degradar de uma forma insustentável; o tratamento psicológico de situações frequentes de ansiedade e depressão – tão frequentes que afectam 1 em cada 4 pessoas – deve estar no topo das nossas agendas. Por isso, com esforço, conseguimos encontrar soluções que permitem o acesso a um tratamento eficaz e de qualidade a quem precisa mas não pode.

 

A Bolsa Micro dá acesso a consultas de psicoterapia na Oficina de Psicologia por apenas 12€ por consulta. A qualidade, essa, é exactamente a mesma que encontraria por valores na ordem dos 50€ - apenas porque este é um projecto de responsabilidade social que visa o acesso à Saúde àqueles que de outra forma estariam excluídos.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:40



Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D