Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Recriar o futuro com Hipnose Clínica

por oficinadepsicologia, em 17.05.11

Autora: Susanne Diffley

Hipnoterapeuta Clínica

 

 

Susanne Diffley

“Como seria viver a minha vida sem este tipo de problema”? Perguntou-me a cliente, já naquela fase de desespero, de quem está a chegar ao limite da frustração. “Não sei”. Respondi eu. “Mas….será que podemos criar um novo modo de sentir a vida?”. Perante o olhar indignado da cliente, sugeri um pequeno exercício de Hipnose Clínica denominado Pseudo-Orientação no Futuro. Após a indução hipnótica, foi pedido à cliente que fizesse uma “viagem no tempo” a um lugar ou situação no futuro, em que sentisse como seria vivenciar e sentir a vida sem o problema que tanto a limitava. “Como seria a sua postura corporal? As roupas que vestiria? O cabelo? A expressão facial? O tom da voz? As emoções?”

 

Como seria viver a vida no futuro sem este problema? (…) Agora, você está nesse futuro! “.

 

Criámos em sessão um ambiente emocional de mudança e curiosidade. Demos o primeiro passo para um futuro diferente. Terminámos a sessão com o treino do exercício em auto-hipnose. Deste modo, iniciámos o processo de familiarização com uma nova realidade de viver e sentir a vida e – literalmente – abrir novos “percursos” neuronais, que vão impulsionar a mudança, e quebrar progressivamente a rotina de velhos hábitos de ser e estar.

 

E você, já imaginou como poderá “recriar” o seu futuro?

 

 

Vivemos a vida de um modo tão automático, como um tipo de software altamente eficiente integrado num computador de altíssima sofisticação – a nossa mente. Nem nos damos conta da maior parte das coisas que pensamos e fazemos no nosso dia-a-dia. Entramos no famoso modo de “piloto automático”.

 

A nossa mente faz o processo de interiorização e automatização, para nos poupar tempo e recursos, e deste modo não termos que pensar ou aprender tudo de novo cada vez que iniciamos uma tarefa. Este processo é de tal modo eficiente, que não temos controlo consciente dele, nem o podemos travar. A interiorização é feita, quer queiramos quer não, e guardada num enorme “armazém de memória”, estando disponível sempre que necessário, sem nos termos que preocupar em quando, e como aceder a essa informação.

 

Soa-lhe tudo muito confuso?

 

Se não é confuso, certamente que é complexo. Mas, talvez o mais importante seja o ganhar consciência, de que do mesmo modo que podemos aprender e automatizar tarefas banais e rotineiras, o mesmo acontece com comportamentos complexos e hábitos menos saudáveis. Assim, associamos emoções a comportamentos e pensamentos, que nem sempre se afiguram agradáveis e se ajustam à vivência que desejamos ter, e que em muito podem denegrir a nossa qualidade de vida. 

 

E então, o que podemos fazer?

 

Se depois de ganharmos consciência, continuamos a repetir os mesmos comportamentos e rotinas de pensamentos, então provavelmente uma boa dose de força de vontade pode não ser o suficiente. Num estado de hipnose, que é um estado de concentração e foco denominado de “atenção focada”, aplicamos técnicas de sugestão hipnótica incorporadas na imagética e visualização criativa, com o intuito de obter um impacto mais intenso e eficaz na alteração de comportamentos automatizados, e assim, ganhar rotinas mais salutares e adaptadas à nossa vontade. No fundo, é como se tivéssemos que aprender e automatizar hábitos mais salutares, para substituir os antigos, e assim melhorar em muito a qualidade dos nossos pensamentos e por conseguinte, a qualidade da nossa vida em geral.

 

Não sei qual é a sua opinião, mas o que é certo é que a minha cliente saiu da sessão de hipnose clínica com um sorriso estampado na cara. Como se tivesse sido tocada por uma brisa de ar fresco – talvez esta brisa representasse a perspectiva e esperança de um futuro diferente.

 

 Para mais informações, por favor consulte o nosso site: www.oficinadepsicologia.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:55



Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D