Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Proteja-se: diga "NÃO"

por oficinadepsicologia, em 19.06.11

Autor: Luís Gonçalves

Psicólogo Clínico

www.oficinadepsicologia.com

 

 

“E é do NÃO ao que te limita e degrada que tu hás-de construir o SIM da tua dignidade.”

Vergílio Ferreira

Luís Gonçalves

Dizer não parece tão fácil mas é terrivelmente difícil, principalmente quando falamos de pessoas próximas. O que me diz disto? Gostava então que pensasse nas suas relações mais significativas e fizesse um apanhado das situações em que sentiu que as pessoas estavam a abusar de si e, no entanto, aceitou mais uma solicitação ou crítica. E logo a seguir sentiu, eventualmente, uma grande culpa por, mais uma vez, ter dito que sim. E como nunca lhes diz não, acabam por fazer sempre o mesmo. É que se dissermos sempre que sim aos pedidos dos outros, eles deixam de reparar em nós e passamos a fazer parte da mobília! Dizer um não sustentado e assertivo relembra-os de que estamos ali também e que temos vontades e opiniões próprias. São incontáveis os exemplos em que aprender a dizer não levou à melhoria clara do bem-estar do cliente, através de várias técnicas que usamos em psicoterapia.

 

É que cada vez que diz “sim” sem lhe apetecer está a dizer “não” a si mesmo! Como resultado, a sua auto-estima vem por aí abaixo e as suas necessidades ficam sem resposta. A boa notícia é que vai bem a tempo de inverter a tendência!

 

 

Quanto mais fazemos uma coisa, mais competentes nos tornamos a fazê-la. E dizer não funciona da mesma forma. Não falo aqui num permanente não mas sim daquele que nos ajuda a delimitar o nosso espaço psicológico e físico, sempre que se justifica. Não mostrar disponibilidade para uma solicitação que nos parece pouco razoável por impedir a satisfação de uma tarefa “das nossas”, dando a conhecer as nossas razões e apresentando alternativas para a resolução da situação é, claramente, uma óptima forma de se viver: respeitamos a nossa individualidade e, ao mesmo tempo, estimulamos a autonomia do outro. Toda a gente ganha!

 

A maior dificuldade reside, precisamente, em dizer não ao marido, chefe, esposa, amigos, filhos ou pais. Ou qualquer relação próxima ou hierárquica. É que aí entram em acção um conjunto de crenças que nos impedem de ser assertivos. Podemos recear que os outros se afastem se não aceitarmos o que nos pedem, achar que seremos castigados por o fazermos ou até que seremos más pessoas! Este medo alimenta um apagamento constante da nossa individualidade e que nos coloca sempre na sombra de alguém. A verdade é que ele é tão irracional que não tem qualquer ligação com a realidade. Dizer não é tão importante como dizer sim, não se esqueça. É que se não tivermos cuidado, ao temermos tanto perder os outros, perdermo-nos é a nós próprios!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:07



Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D