Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Dicas para renovar o interesse sexual

por oficinadepsicologia, em 05.08.11

Autor: António Norton

Psicólogo Clínico

www.oficinadepsicologia.com

 

António Norton

É natural que a intensidade e o fulgor sexual tenham tendência a esmorecer à medida que a relação amorosa vai ganhando estabilidade e continuidade. A paixão sexual muitas vezes dá quase lugar à hibernação. Passamos do estádio de tensão sexual para o de desinteresse. O corpo, o cheiro, o toque, a magia e a excitação iniciais deixam de ter a intensidade que tinham e passam a ser mais banalizadas e secundarizadas.

 

O que fazer para manter viva a chama sexual? Aqui ficam algumas dicas:

 

  • Procure manter o contacto sexual e não o restrinja apenas ao quarto

No inicio da paixão é comum os amantes não se conseguirem despegar um do outro. É natural esta necessidade quase inevitável de fusão. Cada vez que passam um pelo outro existe um beijo, um toque, um olhar sedutor, um sorriso diferente, uma carícia mais erótica. Quando a relação atinge uma certa habituação passa quase a haver uma separação entre a área sexual, propriamente dita, e as tarefas domésticas/familiares. O que é importante é manter alguma erotização no contacto com o seu parceiro/parceira. Relembrando-lhe que sexo não é apenas confinado a um determinado espaço ou tempo. As brincadeiras sexuais furtivas e inocentes permitem criar e aumentar o desejo sexual. Muitas vezes essas brincadeiras não conduzirão a um envolvimento sexual, mas terão o condão de despertar e aumentar o desejo sexual.

 

  • Procure relembrar intencionalmente os momentos sexuais recentes que viveu com o/a seu/sua companheiro/a

Quando a paixão impera é natural que sejamos assaltados durante o dia por pensamentos que invadem a nossa mente racional e nos reenviam, ainda que por breves instantes, para os mundos eróticos que percorremos com o nosso parceiro/a. Os beijos, os toques, as palavras, os ambientes. É justamente este lado do fantasiar acordado que deve continuar a existir, obviamente já não com a mesma natural insistência, mas, mesmo assim procure trazer essas recordações enquanto está a caminho do seu trabalho, ou numa pausa do pequeno-almoço ou almoço. Enfim procure que, de algum modo, essa recordação perdure e envolva-se nela, ainda que por breves instantes. É muito importante procurar também transpor esta capacidade de fantasiar para os momentos em que vê o/a seu/sua parceiro/a em momentos não propícios à pratica sexual, relacionados com as rotinas domésticas/familiares.

 

  • Relembre o seu "eu sensual"

Nos seus períodos de solteiro/a quantas vezes olhou com outro olhar para revistas, filmes, anúncios em que proliferam imagens de forte teor sexual? Quantas vezes deu por si estimulado/a por estas solicitações de natureza erótica? Poderá achar incorrecto ou moralmente errado estimular-se com imagens que não dizem respeito ao/a seu/sua parceiro/a , mas a verdade é que estas imagens têm justamente a capacidade de estimular o seu lado mais erótico. Não há qualquer erro em o aceitar livremente. Somos seres humanos e sensibilizados eroticamente. Não há nada de errado em tal. Se estiver outra disponibilidade para aceitar o seu eu sensual também terá outra predisposição para não permitir a hibernação da sua vida sexual.

 

Espero que estas ideias ajudem a apimentar a sua relação sexual!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:52



Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D