Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Amor ao próximo

por oficinadepsicologia, em 06.02.10

Autor: Hugo Santos

Psicólogo Clínico

 

Na contagem decrescente para o Dia de S. Valentim, não resisti à tentação de vir apregoar, para todas as crenças e não crenças, o amor ao próximo.

Não se preocupem porque não vou fazer nenhum sermão ou activar o super-ego com clichés do tipo deveres morais, mas apenas partilhar algumas ideias convidativas a sentir o amor nas coisas simples.

O amor é esse conteúdo afectivo que nos liga e estabelece relações, dando todo um significado à existência. Ao longo da nossa vida vamos experienciando diversas formas de o dar e receber, e todos sabemos a sua importância para o nosso bem-estar e felicidade.

Contudo, importa recordar a reminiscência do nosso ser que por vezes na vida moderna vamo-nos desligando de certas formas de viver o amor. Para mal dos nossos pecados, todos nós vivemos uma vida preenchida de acontecimentos impregnados por com um ritmo acelerado que nos dessensibilizam perante ocorrências que outrora foram importantes.

O meu convite é quebrar esses padrões de desligamento, embotamento ou timidez social, e colocar os nossos corações online nesta netlove do real, com a ousadia de sentir e dar amor.

Vejamos 7 exemplos bem simples de “amor ao próximo”.

- “Bom dia”: Por quantas pessoas passamos de manhã no caminho para o emprego às quais não dizemos “Bom dia”. Naturalmente que haverão muitas que são desconhecidas e não vamos dizer “Bom dia” a um estranho que está ao nosso lado no metro ou no autocarro, nem abrir a janela do carro para gritar “Bom dia” ao condutor do lado que está connosco na fila de trânsito. Mas também existem pessoas que não são necessariamente estranhas, com as quais cruzamos diariamente e repetidas vezes, e com as quais poderíamos experimentar dizer “Bom dia”.

- Fórmula mágica: Amor ao Próximo = (Obrigado + Elogio) x 70 x 7: O “Obrigado” é uma palavra mágica. Dizer obrigado é tão simples e fazemo-lo educadamente perante inúmeras situações. A sugestão é dizer “obrigado” ainda mais vezes e juntar um elogio. Por exemplo, se no Sábado de manhã, quando está bem frio, vamos ao café e nos servem uma meia de leite e uma torrada, as quais sabem mesmo bem, porque não dizer: “Obrigado, estava óptimo”.

- Ajuda: nem sempre temos tempo para ajudar ou simplesmente estamos distraídos com outras coisas. Experimente olhar à sua volta e fazer pequenos gestos ou grandes acções de ajuda. O Natal é todos os dias, por isso podemos ser solidários quando queremos. Verá que a recompensa emocional é bem grande.

- Escutar: sermos ouvidos com tempo, espaço, atenção e compreensão é algo que nos faz sentir bem e reconfortados. Sentimo-nos especiais nesses minutos de tempo de antena relacional. Experimente, assim, escutar atentamente alguém que lhe é próximo, perguntando-lhe por exemplo como é que correu o dia ou o fim-de-semana, ou como é que foi a ida ao cinema ou o jantar no novo restaurante.

- Um olhar diferente: é interessante como o nosso olhar filtra o que vê. Não reparamos em todos os pormenores, nem vemos todos os ângulos e perspectivas e muitas vezes desligamos a visão pelo princípio de economia. Experimente ligar mais vezes o seu olhar atento, quase visão do super-homem, com a vantagem de a conta da electricidade não aumentar. Repare em pormenores do outro e devolva-lhe, diga-lhe, transmita, comunique, verbalize, demonstre, sinalize, expresse, relate, refira, dê. O nosso olhar é também o reflexo da nossa alma e o espelho do outro.

- Sorriso: o sorriso é universal a todas as línguas e culturas, e é uma das formas mais primárias de expressar e dar amor. Para além disso, recordo-me sempre de uma frase da faculdade (e já lá vão uns aninhos bons): “O pássaro não só canta porque está feliz, mas também está feliz porque canta”. Ou seja, não só sorrimos quando estamos felizes, mas igualmente sentimo-nos felizes por sorrir (o nosso organismo é bem inteligente e está programado para os dois sentidos do circuito sorriso-felicidade). Por isso, sorria, sorria, sorria. Dê sorrisos, daqueles luminosos e encantadores. Verá que também receberá mais sorrisos em troca.

- Mural dos Afectos: Por último, fica aqui o convite a fazer um Grafite sobre o Amor, através do nosso blogue: (http://www.oficinadepsicologia.blogspot.com/). Ofereça afectos e envie-nos mensagens, textos ou desenhos sobre o tema do amor ou do amor ao próximo, para serem publicados online.

 

Com tantas boas acções de amor ao próximo, sentirá ainda mais o seu lugar no céu dos bons afectos. Um Bom S. Valentim.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:06



Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D