Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Nova proposta para diagnóstico de fibromialgia

por oficinadepsicologia, em 07.09.11

Autora: Isabel Policarpo

Psicóloga Clínica

www.oficinadepsicologia.com

 

Isabel Policarpo

A Associação Americana de Reumatologia está a propor um novo conjunto de critérios de diagnóstico para a fibromialgia, que para além da tradicional dor, inclui sintomas como a fadiga, as perturbações de sono e os problemas cognitivos.

Este novo critério reconhece assim que a fibromialgia é mais do que as dores no corpo. Uma questão que pode ser particularmente  importante, para todos os doentes que sofrem dos sintomas, mas que não têm ainda um diagnóstico definitivo.

 

O diagnóstico da fibromialgia, uma condição caracterizada pela presença de dores inexplicáveis que se podem estender da cabeça aos pés e por uma sensação de cansaço, é realizado com base num exame físico focado em 18 pontos  do corpo - situados em torno da região do pescoço, ombro, peito, anca, joelho e do cotovelo.  Sobre estes pontos é exercida uma pressão ligeira e verifica-se que os os doentes com fibromialgia sentem desconforto ou dor quando a mesma é aplicada.

 

Para o doente ter o diagnóstico definitivo de fibromialgia tem de apresentar dor disseminada

nos quatro quadrantes do corpo, pelo menos durante três meses consecutivos e experienciar dor ou desconforto moderado em  11 dos 18 pontos do corpo.

 

Estudos recentes indiciam que se pode estar perante um sub-diagnóstico da fibromialgia, em virtude do critério actual de diagnóstico – presença de dor em pelo menos 11 pontos, ser restritivo e não ter em conta outros problemas  centrais da doença como a fadiga, a falta de clareza mental, os esquecimentos, os problemas de sono e a incapacidade para realizar as actividades do quotidiano.

 

Neste contexto propõe-se que o diagnóstico de fibromialgia passe a ser feito de acordo com um indice de dor disseminado e com uma escala de severidade de sintomas.

 

O  valor do indice de dor disseminado é determinado pela contagem do número de áreas do corpo do cliente onde este sentiu dor durante a última semana . A listagem inclui 19 áreas específicas.

A severidade dos sintomas é determinada pelo grau  de severidade de três sintomas comuns – a fadiga, a incapacidade para realizar as actividades do dia-a-dia e os sintomas cognitivos. A esta escala podem adicionar-se outros sintomas como a dormência, o enjoo, as nauseas,  o sindrome do colen irritável ou a depressão.

 

Para o doente ter o diagnostico de fibromialgia, terá de apresentar  7 ou mais áreas de dor e um score de severidade de sintomas de 5 ou mais, ou  em alternativa apresentar 3 a 6 áreas de dor e um score de severidade de sintomas de nove ou mais.

Alguns critérios mantêm-se inalteráveis, como o facto dos sintomas terem de estar presentes pelo menos ao longo de 3 meses e o cliente não ter outra doença que possa explicar a dor.

 

Admite-se que este novo critério de diagnóstico possa contribuir para um melhor diagnóstico da doença e consequentemente permitir que todos aqueles que até ao momento têm sido excluídos possam aceder a um tratamento mais focalizado e eficaz.

publicado às 14:18


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D