Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Dia Mundial da Prevenção do Suicídio

por oficinadepsicologia, em 10.09.11

Autor: Francisco de Soure

Psicólogo Clínico

www.oficinadepsicologia.com

 

Francisco de Soure

O suicídio constitui-se, actualmente, como uma causa de morte de dimensão significativa a nível mundial. A OMS estima que, a cada dia, cerca de 3000 pessoas terminem com a sua vida de forma voluntária e que, para cada uma que concretiza o acto, outras 20 o tentem. É assustador pensar que, a cada dia, qualquer coisa como 60000 pessoas procurem para si a morte. Só em Portugal, serão cerca de 1200 pessoas por ano. E mais assustador se torna se considerarmos as graves repercussões que uma morte por suicídio tem nas famílias e pessoas chegadas de quem o comete.

 

Quem nunca considerou o suicídio como um cenário possível costuma ter dificuldade em compreendê-lo. O mais básico dos nossos instintos é o da auto-preservação. Assim sendo, como explicar a nós próprios um acto que da forma mais gritante contraria este instinto? Compreender o suicídio é compreender o desespero. Injustamente apelidado de “uma chamada de atenção”, o atentado à própria vida é visto por quem o comete como a única saída possível para uma situação intolerável, a única forma de acabar com a dor, ou uma oportunidade quase mágica de começar de novo. O suicídio aparece, frequentemente, associado a quadros de depressão. De facto, a investigação aponta para que cerca de 15% das pessoas que tentam ou cometem suicídio estarão clinicamente deprimidas. E as estatísticas da OMS apontam, também, para que a depressão continue a aumentar de forma galopante, particularmente nos países ocidentais.

 

É neste cenário de preocupação que celebramos hoje, dia 10 de Setembro, o Dia Mundial de Prevenção do Suicídio. Poucos Dias Mundiais se celebrarão que nos digam tanto, na Oficina de Psicologia. O suicídio é o resultado mais irreversível e extremo do sofrimento e perturbação psicológicos. Preveni-lo implica prevenir os estados depressivos que o originam, assim como oferecer eficaz tratamento. A investigação vem demonstrando, de há anos para cá, que a psicoterapia oferece pelo menos iguais taxas de eficácia no tratamento da depressão quando comparada com a medicação. De tal forma que, actualmente, este tratamento se efectua em contexto individual, de grupo, e até online! Os indícios da intenção suicida são pequenos sinais como a discussão de temas associados à morte, estados de tristeza continuados e vincados, referências a um futuro em que não se está mais presente, ou a repentina oferta de prendas com elevado valor sentimental. Estando particularmente atentos a eles, assim como aos sintomas de depressão, podemos ajudar aqueles por quem tememos a procurar ajuda, e a prevenir um desenlace tão catastrófico para a sua dor. Não baixe os braços! Ajude-se a si, e aos outros, levando-os a procurar ajuda, ou procurando-a para si!    

publicado às 11:08


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D