Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Os affairs e seus significados: ver para além da zanga

por oficinadepsicologia, em 13.06.12

Autora: Inês Mota

Psicóloga Clínica

www.oficinadepsicologia.com

Facebook

 

Inês Mota

Os affairs são um tema presente nas relações de hoje e são experiências emocionalmente dolorosas para todos os envolvidos.

Qualquer traição tem um impacto profundo pois cruza temas como o amor e a rejeição, e se a traição é sexual o impacto emocional é normalmente mais avassalador.

 

É importante reter que diferentes tipos de affairs têm normalmente associados diferentes significados. Não espelham de forma tão linear as respostas às perguntas normalmente colocadas: “o que é que ele/ela tem a mais do que eu?”; “significa que já não gostas de mim?”. Pode ser difícil compreender estes quebra- cabeças, mas os affairs não são normalmente uma questão de sexo e não têm normalmente a ver com o facto de se gostar ou não do/a companheiro/a.

 

Os affairs comunicam o sofrimento e o desconforto. São então uma forma de se “falar” acerca do sofrimento pelo qual se está a passar ou pelo sofrimento que se está a passar na relação ou casamento.

Em determinados tipos de relações que os casais têm como lema “não se discutir é sinal de uma relação feliz”, as tantas coisas acumuladas por refletir ou discordar podem falar pelo affair.

Nas relações em que ambos receiam a vulnerabilidade, levantam-se altas barreiras à intimidade e o affair torna-se então mais um escudo protetor.

Nas relações em que um dos elementos se privou de alimentar o seu espaço individual e que sentiu que se sacrificou em demasia pela relação, o affair fala por fim desta necessidade às vezes não conhecida pelo próprio.

Há relações também em que o affair é apenas um veículo para se terminar o casamento e não a razão pela qual ele acaba, distraindo no entanto o casal das verdadeiras questões emergentes.

 

Os affairs são puzzles difíceis de entender mas é importante deixar a mensagem de que por vezes com a coragem de os descortinar, estes funcionaram em muitos casais como catalisadores para se reconstruir e encontrar uma relação muito mais satisfatória do que a conhecida antes do affair, pois foi utilizado como a oportunidade de se conhecer, trabalhar e dissolver os dilemas a ele associados.

 

Fonte: Brown, E. M (2001) Um guia para sobreviver às repercussões da infidelidade

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:30



Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D