Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Surpresas da Gratidão

por oficinadepsicologia, em 19.04.10

Autora: Irina António

Psicóloga Clínica

 

Habitualmente o lugar das emoções associadas ao processo terapêutico está “legitimamente” conquistado pelos sentimentos “negativos”. Os sentimentos “negativos” em si são desagradáveis: quem gosta de sentir os relâmpagos da raiva, a força centrífuga do desamparo e da tristeza, os apertos da culpa e da vergonha? A necessidade de trabalho com eles é óbvia e o resultado libertador é quase previsto. E como é no caso dos sentimentos “positivos”?

 

Parece paradoxal, mas há um fenómeno bastante frequente em psicoterapia: a pessoa expressa emoções “negativas” em relação às pessoas significativas, porque o acesso às “positivas” está bloqueado. E esta incapacidade de sentir, saber expressá-las, bem como utilizá-las como recurso precioso de contacto, desperta o sofrimento.

 

E porque o trabalho terapêutico também é sobre o contacto com sentimentos de amor, gratidão, reconhecimento, a exploração criativa da potencialidade destes sentimentos pode trazer os resultados surpreendentes. A experiência do professor – assistente Toepfer da Universidade Salem Campus (EUA) é um exemplo destas práticas.

 

 

Num dos seus estudos Toepfer, resolveu explorar impacto que o sentimento de gratidão pode provocar no estado de ânimo e na sensação de satisfação com a vida. Ao longo de 6 semanas os participantes do estudo, estudantes universitários, foram convidados a escrever uma ou duas cartas de gratidão às pessoas que influenciaram positivamente as suas vidas. As regras propostas para escrita eram simples: expressão positiva com um toque especial ao alto nível da apreciação e da gratidão, acompanhada pelas notas de reflexão e de insight.

Segundo Toepfer, os resultados do estudo apontam para o impacto que as práticas expressivas da escrita geraram: alivio no estado depressivo, melhoramento ao nível do sistema imunitário. O autor do estudo afirma que “a gratidão é um recurso que nos ajuda a expressar e deliciar, apreciar, ser agradecidos e satisfeitos com pouco esforço. Todos nós temos isto, todos necessitamos de dar uso a isto para melhorar a qualidade da vida”.

 

Experimente também o contacto com a gratidão e partilhe connosco os resultados, enviando as cartas anónimas para o nosso blogue.

As instruções são simples:

  • Tome uma posição confortável e assegure-se de que não vai ser interrompido (a) nos próximos 10-15 minutos. Feche os olhos e foque-se na sua respiração durante alguns minutos
  • Quando o corpo começar a sentir a relaxar, deixe que lhe surja no espírito a imagem da pessoa a quem quer dirigir as palavras de gratidão. Entre em contacto com esta imagem, visualizando-a ao pormenor: como é o corpo da pessoa, o que traz vestido, como olha para si, como é a sua voz, como são os seus movimentos, como se relaciona com outras pessoas, como é a sua vida.

Depois abra os olhos e começa durante 5-10 minutos a escrever a carta de gratidão para a pessoa em questão, destacando a influência positiva que ela teve (ou ainda continua a ter) na sua vida. Faça uma reflexão recorrendo às emoções, as imagens, as sensações corporais, aos pensamentos.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:19



Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D