Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Bullying - O grito inaudível

por oficinadepsicologia, em 15.01.10

Autora: Inês Mota

Psicóloga Clínica

 

 

O Bullying não é de todo um fenómeno novo mas é sim um problema actual que apenas poderá ser eficazmente combatido e prevenido quando for amplamente conhecido e reconhecido.

Em consultório, os relatos na primeira pessoa denotam que as marcas do Bullying não se esbatem com o passar dos anos. De facto muitos adultos continuam a recordar-se da altura em que foram vítimas de Bullying quando crianças, mantendo-se essas imagens presentemente vívidas e esses episódios continua e intensamente dolorosos.

 

Bullying, o que é?

Bullying consiste num padrão consistente de desrespeito pelos outros que pode ser manifesto segundo três vias: física, verbal ou emocional, sendo a mais comum a verbal.

É uma acção agressiva de um ou mais indivíduos sobre outro, incluindo insulto, agressão, ameaças de danos físicos, violação de direitos cívicos, posse de arma, extorsão, actividade de bando, tentativa de assassínio ou mesmo assédio sexual.

Assim, e apesar da diversidade de actos que contempla, considera-se que uma pessoa está a ser vítima de Bullying quando se encontra exposta de forma repetida e ao longo do tempo, a acções negativas por parte de uma ou mais pessoas.

 

Bullying- Um olhar sobre o desenvolvimento

O Bullying começa a ser denotado no jardim-de-infância por altura dos dois anos de idade. É predominante durante o 2º e 3º ciclos do ensino básico (onde a forma mais comum é a provocação, abusos físicos entre os rapazes e ostracismo entre as raparigas) e declina no Ensino Secundário, não sendo muito relatado no meio universitário. A evidência aponta para que, uma vez aprendidos, os comportamentos de Bullying não sejam abandonados facilmente, mas que podem sim ser “desaprendidos”, sendo então a intervenção precoce essencial.

 

Bullying- Ambiente, bullie, vítima e testemunha

Um sistema complexo onde todos sofrem.

Muitos investigadores acreditam que o Bullying envolve um desequilíbrio de poder físico ou psicológico, sendo considerado o Bullie o mais forte ou percepcionado como sendo mais forte do que a sua vítima. O Bullie acaba por manifestar frequentemente problemas graves na idade adulta.

As Vítimas normalmente destacam-se por um aspecto que marca uma diferença, podendo ser um aspecto físico salientado através de maneirismos ou mesmo deficiência, podendo também elas ser crianças talentosas ou populares ou ainda crianças com pais muito dominadores ou protectores. As vítimas podem ser passivas (ansiosas, inseguras) ou provocadoras (facilmente irritáveis, irrequietas).

As vítimas sentem-se tristes, assustadas e mal consigo próprias. Estão em maior risco de sofrer de depressão, ansiedade, manifestarem problemas no desempenho académico, exibirem sintomatologia como dores de cabeça, dores de estômago, ou outros sintomas físicos para lidar com o stress, baixa auto- estima, isolamento e mesmo suicídio quando encarado como a única saída.

As Testemunhas (que vêem ou ouvem episódios de Bullying), também se podem sentir assustadas ou ansiosas, podendo também desenvolver sintomas físicos psicossomáticos. De facto um ambiente em que as crianças se preocupam com “quem vai ser o próximo” é aterrorizador e muito doloroso.

 

Bullying- O grito inaudível!

A maior parte do Bullying não é observável porque:

-tende a ser praticado longe dos olhares dos adultos;

- é exibido de uma forma que os adultos não se apercebem e nem reparam;

A maior parte do Bullying não é relatado porque:

- a vítima sente vergonha, tem medo de sofrer retaliações ou pensa que os adultos não poderão ou não quererão ajudá-la;

- a testemunha não se consegue envolver ou porque não interpreta o que vê como Bullying, mas como “simples provocação”.

Nota: Tal como a dor causada pela agressão emocional é menos evidente do que a resultante da de um corte, a diferença entre a provocação lúdica e a provocação que magoa também nem sempre é clara.

 

Bullies e Vítimas- Esteja atento aos sinais.

Expressão de violência em textos escritos ou desenhos: Uma excessiva representação dirigida a membros específicos, de forma consistente e repetida ao longo do tempo pode ser um indicador.

História de problemas disciplinares: Sugere que as necessidades emocionais fundamentais não estão satisfeitas, o que pode ser manifestado pela representação inadequada e nos comportamentos disruptivos.

Baixo interesse pela escola ou desempenho académico fraco: Um desempenho académico fraco pode depender da interacção de numerosos factores. Aqui importa considerar uma alteração drástica no desempenho académico ou se o desempenho se torna numa condição crónica que limita a capacidade de a criança aprender.

Evitamento de relações sociais/ isolamento:Pode ser manifesto um afastamento gradual ou completo devido a sentimentos depressivos de rejeição, de perseguição, baixa auto-estima e falta de confiança.

Exteriorização de sentimentos de forma inapropriada: Podendo incluir a possibilidade de agressão e violência.

Intolerância em relação às diferenças e atitudes preconceituosas: Um preconceito intenso associado a outros factores pode estar na origem de ataques contra aqueles que são percepcionados como sendo diferentes.

Aproximação ou Adesão a grupos violentos: Muitos jovens ao experimentarem sentimentos de rejeição pelos seus pares podem ser levados a procurar e agregar-se a amigos agressivos noutros contextos, o que irá contribuir para o reforço do padrão desta conduta.

 

 

Conhecer e Reconhecer o Bullying, ao alcance de todos nós!

O Grito audível!

 

Aprender a prevenir estando atento aos sinais de aviso constituí uma mais valia para que o problema possa ser antecipado antes de este sofrer uma escalada para a violência emocional ou física.

 

Tanto crianças, jovens como os seus modelos adultos podem beneficiar de ajuda.

Se conhece algum dos envolvidos neste sistema complexo, ajude a tornar grito audível para que o sofrimento dos envolvidos possa ser apaziguado. Através de técnicas e estratégias de gestão de conflitos, gestão da raiva ou outras técnicas de regulação emocional, alívio de stress ou aprendizagem e treino de competências de assertividade.

O Bullying só é um problema actual que apenas até ser eficazmente combatido e prevenido e quando for amplamente conhecido e reconhecido.

Ao alcance de todos nós!

 

 

publicado às 09:15



Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D