Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Ansiedade Social e Cannabis

por oficinadepsicologia, em 02.02.11

E-mail recebido

 

Sempre tive problemas de auto-confiança em grande parte, devido à adolescência complicada que tive por ter uma familia disfuncional e instável. Há uns 6 anos a esta parte que começei a fumar canabis e neste momento consumo todos os dias pelo menos à noite. Não sei se tem ou não, alguma ligação, isto porque anteriormente passei por situações marcantes e dificeis na minha vida, mas o que é facto é que com o passar deste tempo todo, começei a desenvolver medos, nomeadamente fobia social, tenho cada vez menos prazer de sair com outras pessoas e tenho um medo que ainda me assusta mais e que me tem acompanhado até hoje e está cada vez a ficar pior - medo de perder as pessoas que mais amo, principalmnte o meu marido. Medo que as pessoas deixem de gostar de mim e para piorar estou sempre a matutar nos mesmos assuntos que muitas das vezes nem têem a importância que deveria dar. Gostava muito de deixar de consumir canabis, mas temo que esteja um pouco viciada. O que hei-de fazer em relação a tudo isto?

 

 

Grata pela vossa atenção!

 

H

 

 

Cara H

 

A história que nos conta é feita de vários aspectos, que podem –ou não- ser mutuamente influentes. Em primeiro lugar, partilha connosco que sente dificuldade em interromper o seu consumo de cannabis. Apesar de haver um mito socialmente estabelecido que esta substância não vicia, aquilo que observamos é que frequentemente se torna particularmente difícil parar de consumir. Este aspecto é particularmente preocupante se tivermos em conta dois efeitos frequentes da cannabis: o síndroma amotivacional e o agravamento de estados depressivos e ansiosos. Este último parece um efeito inesperado. Frequentemente, logo após consumir, sentir-se-á mais leve, mais relaxada, menos preocupada. Na verdade, a longo prazo, este consumo afecta a nossa química cerebral de uma forma que predispõe para sintomas depressivos, e agrava a ansiedade que sente. A isto junta-se o dito síndroma amotivacional. A investigação médica vem demonstrando que o consumo prolongado de cannabis provoca uma baixa substancial nos nossos níveis de motivação. Habitualmente isto gera também uma diminuição dos nossos comportamentos sociais, um desligamento das pessoas e actividades que nos dão prazer. Quando isto acontece, parece-me também natural que comecemos a temer estar a perder o “jeito” para estar com outras pessoas, e sentir que nos afastamos delas.

Por outro lado, fala-nos de algumas ideias obsessivas e intrusivas com as quais vem tendo dificuldade em lidar, e que estão a agravar muito a sua ansiedade. Se a isto adicionarmos as dificuldades que refere na sua adolescência e infância, parece que se depara neste momento com um cenário muito assustador. Tendo em conta todos estes factores, parece-me particularmente difícil dar-lhe alguma solução que tenha efeitos imediatos. Especialmente tendo em conta que existe um consumo de substâncias, para situações como aquela em que se encontra é muito importante que procure ajuda especializada. Se necessitar de alguma informação adicional, por favor não hesite em contactar-nos.

Um abraço,

Francisco de Soure

Oficina de Psicologia

 

 


Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:50



Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D