Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Porque amanhã é dia de namorar...

por oficinadepsicologia, em 13.02.11

Instituíu-se que, a 14 de Fevereiro seria dia de amores publicitados, por isso, aqui vão as nossas lembranças de que, acima de tudo, comecemos pelo amor-próprio. Difícil gostar de si? Que tal vir desenvolver a auto-estima no nosso workshop Bem-me-Quero? Nova edição a começar ainda em Fevereiro!

 

“Ao procurar o que os outros olham em mim, vejo-me ao espelho.

Vejo-me belo e feio, Vejo-me triste e contente.

Vejo-me, mas não me vejo, Procuro-me mas não me encontro.

Perguntei então ao espelho: ”Porque não me vejo?”

E ele respondeu: “Porque não te encontras!”

Perguntei então: “Como me posso encontrar?”

E ele respondeu: “Quando a ti souberes amar!”

 

“Gosto de mim porque gosto, Gosto de mim porque sim,

Gosto de mim porque aposto que ninguém gosta de mim assim.”

Helena Gomes

 

 

 

"O homem tem duas faces: não pode amar ninguém, se não se amar a si próprio." Albert Camus

Quantas e quantas vezes não é esta a batalha que se trava entre as paredes do meu consultório. Encontrar o amor próprio para só então podermos começar a amar verdadeiramente o outro, começarmos a encontrarrmo-nos numa relação em que somos nós mesmos sem medo de nos darmos a conhecer. Este é o grande desafio!

Catarina Mexia

 

 

"Vou contar um segredo, que todos sabem: as pessoas não mudam (ou talvez mudem, mas continuam, muitas vezes, a sentir que não mudaram). Por isso, uma sugestão: aceite-se!!! Pode até não gostar assim tanto de si. Eu cá tenho dias que nem me suporto. Mas aceite-se. Isso é que é auto-estima".

 

Dia dos Enamorados

Hoje rendo-me aos clichés

às frases feitas, aos presentes em forma de coração

pois tudo isto que é igual

é algo único e que me torna diferente.

 

Fazes-me viver e respirar

Fazes-me perder e encontrar.

Fazes-me inverter o pior dos meus medos,

O estar sozinho quando não quero,

e quando quero não estar sozinho.

 

Contigo sou e quero

E é tão bom este amor,

E é tão bom estar enamorado por ti... Vida.

 

Quero viver-te!!!”

Hugo de Oliveira Santos

 

 

 

“Hoje peguei em mim pela mão e levei-me até ao espelho.

Sempre nos demos bem, eu e a imagem de mim nele reflectida.

Num ímpeto de Narciso, mergulhei de cabeça,

mas nadei quilómetros e voltei à tona com um sorriso nos lábios.”

 

"Não importa o caminho que faça, desde que lá chegue.
Não importa a que horas me deito, o que importa é a que horas me levanto.
Não importa se o peso do mundo me cai em cima, porque o meu mundo não anda sem mim."

Maria João Galhetas

 

 

 

Se eu não gostar de mim… Quem gostará?

"No dia de S. Valentim, dei-te o meu coração,

Num gesto singelo de quem ama por inteiro,

Embrulhei-o com papel de carinho e fita de dedicação,

Mergulhei-o em pétalas de rosa para captar o seu cheiro,

 

Só agora percebi do que havia aberto mão,

Como posso amar sem me amar primeiro?

Como posso achar isto possível, que ingénua distracção,

Quero conhecer-me a mim própria e aceitar-me por inteiro,

 

Depois desta auto-descoberta carregada de emoção,

Serei capaz de me olhar ao espelho e ver-me por inteiro,

Pois não existe neste mundo maior paixão,

Do que aquela que nasce de me amar a mim primeiro!"

Ana Crespim

 

 

“Amanhã é dia dos namorados. Já não bastava estar infeliz e sentir-me estranha e diferente, para agora também o calendário me “apontar o dedo”...

Porque amanhã é dia dos namorados comece por tomar um banho delicioso e revigorante, não esqueça o creme e o perfume, vá ao armário e escolha aquela roupa que a faz sentir bem e mesmo antes de sair corra até ao espelho olhe-se e sorria para si!”

Isabel Policarpo

 

 

"O que posso acrescentar a tudo que já foi dito, escrito, cantado, filmado sobre o sentimento de “amor”? A não ser que uma ideia que também não é uma invenção de ontem…Podemos descobrir algo sobre o misterioso amor por nós próprios”, fazendo comparação com “o amor normal”: por homem, mulher, criança, mesmo por cão e gato. Porque, se amamos alguém…

Não ameaçamos e não impomos condições: “se não fizeres algo – deixo de te amar!” Pequeno ou grande, mas se o amor existe, ele é seguro. E porque é que cobramos tanto a nós próprios?

Aceitamos os amados tal como eles são, conhecendo todos os vícios e as fraquezas. Eles objectivamente podem ser mais gordos, mais frágeis, mais preguiçosos que os outros, porque os outros – não são os nossos. E porque é que ficamos desgastados pela comparação com colega, com amante do amigo, com a mãe e até com um ideal da nossa cabeça?

Preocupamos sinceramente com as necessidades dos que amamos, ou, pelo menos, tentamo-nos preocupar. Olhamos para o futuro deles interessados no desenvolvimento do seu potencial, oferecemos atenção e tempo para resolução dos problemas. E o que fazemos com nós próprios? Às vezes mimamos, mas raramente ajudamos a crescer. Permanentemente saltamos os momentos em que é necessário parar e fazer a nós próprios uma pergunta: “o que aconteceu, precisas de algo?”e até propor um espaço para desabafo.

 

Amigos, familiares, companheiros, filhos, colegas, cães – quanto maior será o número dos seres vivos que tivemos a oportunidade de amar verdadeiramente, mais ferramentas teremos ao nosso dispor para conquistar o tão desejado “o amor por nós próprios”.

Irina António

 

 

 

Se reconhecer o Amor parece ser algo fácil e imediato porque podemos sempre recorrer à nossa checklist, conhecê-lo parece um trabalho difícil.

Várias são as tentativas de resposta para o que é, o que se ama, o que acontece ao amor ao longo do tempo, objectividades num mundo que se calhar é subjectivo e que leva a muitos a procurar a ajuda do terapeuta.

Ao tentarmos defini-lo estamos a decompô-lo e perdemos o seu valor total que se calhar é invisível aos olhos porque é essencial à alma.

Porque não amarmos o amor como um todo e aceitá-lo com todos os processos de mudança que lhe são inerentes? Começando sempre pelo amor a nós próprios que se desenvolve, que não se decompõe mas que vai resultando de interacções essenciais para a sua permanência, não só na relação que estabelecemos com os outros mas sobretudo na relação connosco próprios.

Neste dia dos namorados propomos que namore consigo e que diga "Eu gosto de mim mesmo", porque, desculpem a frase feita, mas se não gostarmos de nós quem gostará?

Fátima Ferro

 

 

"Olho-me no rosto,

encosto-lhe a mão leve, com ternura

Fecho os olhos e sinto o gosto,

da suavidade da sua candura"

 

"Nesse rosto sinto o amor,

o fulgor que ainda perdura.

Na elegância do seu esplendor

gostar de mim, mas que doce aventura!"

 

Susanne Diffley

 

 

“De onde vim, onde estou e para onde vou. Hoje sou tudo isso. Bons e maus momentos, sucessos e insucessos, lágrimas e sorrisos. Tenho feito o melhor que consigo para ser feliz e gosto tanto de mim por isso mesmo. A vida sorri-me desde que aprendi a cuidar de mim, apaixonou-se por mim sem limites ou condições. Porque amo quem fui, quem sou e quem serei!”

Luís Gonçalves

 

 

Tu…
Tu ensinaste-me a amar,
A rir, correr, chorar.
Ensinaste-me a querer,
A questionar, perceber, aprender.   
Ensinaste-me a andar,   
A cair, perdoar, esquecer.
Ensinaste-me a acreditar,
A conquistar, ganhar, perder.
Ensinaste-me a lutar,
A saltar, crescer, viver!

Por isso, hoje, neste dia especial,   
Olho-te nos olhos e esboço-te um sorriso feliz.
Agradeço-te por tanto me teres ensinado
e por tanto ainda haver para aprender contigo.
E agora, aqui, em frente ao espelho, olho-me nos olhos e assumo com felicidade o meu amor      interior!"

Joana Florindo

 

 

«Um dia, uma Amiga contou-me uma "história". Um ancião índio norte-americano, certa vez, descreveu os seus conflitos internos da seguinte maneira: "Dentro de mim há dois cachorros. Um deles é cruel e mau. O outro é muito bom e eles estão sempre a discutir." Quando lhe perguntaram que cachorro ganhava a briga, o ancião parou, reflectiu e respondeu: "Aquele que eu alimento mais frequentemente..." Ao acordar, todas as manhãs, alimento o "meu" cachorro bom.

Olho ao espelho.

Sei de cor cada lugar teu
atado em mim, a cada lugar meu
tento entender o rumo que a vida nos faz tomar
tento esquecer a mágoa
guardar só o que é bom de guardar

Pensa em mim protege o que eu te dou
Eu penso em ti e dou-te o que de melhor eu sou
sem ter defesas que me façam falhar
nesse lugar mais dentro
onde só chega quem não tem medo de naufragar

(..) Cada lugar meu, Mafalda Veiga.

E a mim me declaro.

Inês Afonso Marques

 

 

"De mim para mim"

Habito bem no centro do teu pensamento
Bem no meio do teu sentimento
Naquele universo mitificado feito de vozes apaixonadas
Que se digladiam numa luta fervorosa e eterna

Habito nesse vasto espaço feito de ti e de nada
Da tua secreta poesia que emana sob a nossa imensidão
Sob a clareza mundana e desejada

Espero por ti secretamente escondido dentro de ti
Do teu âmago, do teu interior estranhamente perpetrado
Por claridades inusitadas e amanheceres insuspeitados

Espero  por ti porque te aguardo, te espreito e te segredo
Te amo te desejo e te sofro
Assim neste meu mundo solitariamente meu em que descanso
E te aguardo

Se crês na minha voz então espera também por mim
Aguarda-me com calor e verás que quando me sentires
Perceberás que sou digno do teu amor...

António Norton

 

 

“A palavra amor, no sentido que a concebo, envolve em si mesma a arte de cuidar e de ser cuidado, cuidar de mim e do outro. É comum ouvirmos que para cuidar, numa primeira instância é necessário cuidar-se. Não se descuide do cuidado consigo mesmo, e não se dê aos outros até ao ponto de não restar nada para si próprio.”

Tânia Cunha

 

 

Citando Carl Jung, "Amar-se é ir ao encontro de si mesmo." A percepção que tem de si, quando positiva, é essencial para se sentir bem e ser feliz. Respeite-se, conheça-se e valorize-se pois não podemos amar verdadeiramente o outro se não nos amarmos a nós próprios.

Catarina de Castro

 

 

"Queres chorar? Não sabes porquê... mas queres chorar. Digo-te porquê! Não é possível festejar um dia que depende da existência de um outro alguém. Não é possível alegrarmo-nos num dia que não depende da nossa vontade, disponibilidade, amabilidade e outros tantos vocábulos que terminam em "ade", não é verdade? Pensa bem. Ou pensa mal. Mas pensa, por um momento, que dia é este? O que significa?

Coitado do São Valentim decapitado por querer ajudar a festejar o amor de jovens, que estavam proibidos pelo imperador de poder casar para poderem fazer a guerra. Que São Valentim celebramos nós hoje com frases lamechas, piropos feitos, flores sem cor, contas desfeitas e jantares apinhados de conversas vazias à luz das velas.

Namorar era um segredo. Casar era um mistério. Casar era uma celebração do amor. Casar deve ser, independentemente de tudo, unir-se com amor e intimidade.

Queres chorar? É natural. Queres uma intimidade encontrada e não uma intimidade decretada.

Dizem-nos os cartazes de publicidade ruidosa: se estás sozinho ama-te (que frase feita!), se estás acompanhado ama tudo também (que mentira disfarçada de liberdade!).

Porque não no dia dos namorados voltarmos às origens da celebração e fugirmos à guerra, hoje a dos lugares-comuns, para celebrar o amor?

 

No dia dos namorados fujamos ao namoro que paga imposto e, sozinhos ou acompanhados, celebremos o segredo misterioso que é o amor. É só uma sugestão. Vale o que Valentim quiser!"

Nuno Mendes Duarte

publicado às 13:27


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D