Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Verificações compulsivas

por oficinadepsicologia, em 27.01.10

O meu filho tem 23 anos e acabou de abandonar a Universidade porque já não conseguia sair de casa a tempo para chegar às aulas e sentia-se muito mal quando lá estava. Está acompanhado com um psiquiatra, a tomar medicação para a perturbação obsessivo-compulsiva, mas eu estou muito preocupada porque não o vejo a conseguir retomar uma rotina normal, apesar de estar um pouco mais calmo. O problema é que ele antes de sair de casa gasta 2 e 3 horas a verificar várias coisas, a tomar banho e a vestir-se (chega a vestir a camisola 15 vezes seguidas até sentir que a vestiu correctamente) e à noite tem de verificar várias vezes o gás, as luzes, os aquecimentos, as fichas nas tomadas, as torneiras... Com isto, acaba por se deitar muito tarde, o que ainda complica mais para conseguir ir às aulas porque, depois, não se consegue levantar  horas de manhã. Por favor, digam-nos o que podemos fazer mais, além da medicação - ele está a ir-se completamente abaixo porque sempre foi muito bom aluno e, agora, corre o risco de perder um ano por faltas.

Obrigada.

I.

 

Resposta

Cara I.,

O que nos descreve é característico de uma perturbação obsessivo-compulsiva - as verificações que o seu filho faz correspondem a rituais compulsivos, profundamente desgastantes e com tendência a piorarem em situações de stress. A medicação é importante, ainda que demore algum tempo até se poder saber qual o impacto que tem na contenção destes sintomas. No entanto, e com total independência da intervenção farmacológica, que deve ser mantida em conformidade com as instruções do psiquiatra responsável, é crítico que exista acompanhamento psicoterapêutico, sem o qual dificilmente poderá existir uma remissão total ou muito significativa e permanente destes sintomas.

Na intervenção psicoterapêutica, o seu filho poderá efectuar vários exercícios que lhe vão permitir re-adquirir o controlo sobre estes seus actos compulsivos e enfrentar os pensamentos que lhe provocam ansiedade, voltando a rotinas de vida funcionais e que lhe permitam retomar o seu percurso académico.

Sugiro que descarregue o documento que oferecemos na página http://www.oficinadepsicologia.com/ocd.htm, sobre a perturbação obsessivo-compulsiva, para se identificar mais aprofundadamente sobre a situação do seu filho e o que pode esperar de um acompanhamento psicológico.

Ficamos à sua disposição para vos ajudar da melhor forma possível.

Abraço solidário,

Madalena Lobo

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:41



Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D