Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Quando o medo da separação causa sofrimento

por oficinadepsicologia, em 06.05.11

Autora: Inês Afonso Marques

Psicóloga Clínica

 

 

Inês Marques

Muitas crianças experimentam um medo extremo, exagerado, despropositado, de se separarem dos seus cuidadores. Há crianças que recusam ir para a escola, outras referem pesadelos cujo tema é a perda. Há crianças que se queixam de dores, náuseas ou vómitos sempre que antecipam uma separação, mesmo que breve, dos cuidadores, outras recusam-se a estar sozinhas. Independentemente das “formas” que toma a ansiedade de separação manifestada pela criança pode deixar toda a família vulnerável, comprometendo o equilíbrio psicológico individual e da própria família. Muitos pais perguntam quando devem procurar ajuda.

 

 

Quando…

- a intensidade das emoções e a frequência dos episódios de ansiedade é significativamente superior ao esperado para idade da criança…

- a ansiedade interfere na capacidade de adaptação da criança e compromete significativamente algumas áreas da sua vida, como a alimentação, o sono, as relações, ou a aprendizagem…

- o sofrimento da criança se torna incapacitante para os próprios cuidadores…

- os sintomas ansiosos persistem no tempo…

… Soa o alarme. São sinais de alerta. Pode ser importante, e bastante útil, procurar ajuda junto de profissionais especializados, no sentido de diminuir os níveis de sofrimento, reencontrar a tranquilidade e estabilizar as emoções.

publicado às 16:49


1 comentário

Sem imagem de perfil

De Silvia a 09.05.2011 às 14:31

Não sei se estou a escolher o canal de contacto ideal mas este artigo caiu-me que nem uma luva. Tenho uma bébé de 18 meses que era super risonha e dada mas desde que foi para o infantário (aos 11 meses, até lá esteve com a avó) que manifesta um sofrimento imenso cada vez que eu me afasto, de tal forma que não quer mais ninguém, nem mesmo o pai,e para além disso regrediu imenso no seu desevolvimento. Já dizia umas palavrinhas e desde que foi para o infantário deixou de dizer, e ainda não anda sem ajuda. Já fomos a uma consulta de neurologia pediatrica e segundo opinião médica a nivel neurologico esta tudo bem. Mas para mim, como mãe está a ser cada vez mais dificil saber como lidar com esta situação, até porque a minha filha mais velha(8anos) também já se está a ressentir pois abebé não me deixa tempo nem espaço nenhum para mais nada. Além disto tudo de cada vez que estmamos com mais pessoas ela fica super nervosa e nem deixa ninguém aproximar-se. Não sei mais o que fazer, será que me podiam dar alguma conselho ou sugestão para minorizar esta situaão? Obrigada

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D